Diante de novos desafios, FIESC lança Escola S

Uma escola, muitas escolhas. Assim se define a nova marca da rede de educação básica da Federação das Indústrias (FIESC), a Escola S. Concebida com o objetivo de oferecer uma única escola para toda a formação básica do estudante, a rede integrada por SESI e SENAI prioriza o ensino da ciência, tecnologia, engenharia, arte e matemática, a chamada metodologia STEAM. A nova escola já nasce adaptada ao cenário de pandemia, com ensino híbrido, que alia as atividades virtuais com as presenciais, e priorizando a aprendizagem baseada na solução de problemas. A proposta é oferecer ao estudante uma jornada de ensino completa – do infantil ao médio – que será implantada gradualmente nas unidades do SESI e do SENAI.

“A rede SESI SENAI está mudando para formar profissionais cada vez mais preparados para o futuro da indústria. Para isso, precisamos repensar o ensino com movimentos voltados para o trabalho, para a vida e para os complexos desafios do século 21”, salienta o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar. “Queremos ser referência em educação no nosso estado e que o estudante complete o ciclo da educação básica na Escola S”, frisa.

O alinhamento constante às tendências internacionais em educação permite ao estudante da Escola S desenvolver competências essenciais para o futuro. Essa premissa também é refletida na proposta pedagógica inovadora e singular que será aplicada. “São metodologias ativas, que fazem do aluno o principal agente de sua trajetória acadêmica e, do professor, um guia constante e atento às formações que podem ser trilhadas pelo estudante”, explica o diretor de educação e tecnologia da FIESC, Fabrizio Machado Pereira. A aprendizagem remota será uma grande aliada, lembra o diretor. “Ela está sendo imperativa nesse processo da pandemia por motivos óbvios e acabará sendo vital para a continuidade de algumas propostas”, acrescenta.

A ampliação dessa oferta já começou este ano, com a disponibilidade de turmas do ensino fundamental (anos iniciais) em Lages e Videira. Em 2021, Joinville passa a oferecer os anos iniciais do fundamental e, Concórdia, os anos finais.

Nas regiões oeste e extremo oeste, é ofertado o ensino médio em Chapecó e em São Miguel do Oeste. De acordo com a coordenadora regional de Educação Básica do SESI SENAI, Juliana Golfe, o planejamento é ampliar as modalidades para ensino infantil e anos iniciais e finais do ensino fundamental. “Já estamos trabalhando com o novo ensino médio que tem como diferencial uma parte da carga horária destinada para curso técnico profissionalizante. Além disso, nosso ensino é baseado na metodologia STEAM que oportuniza formação focalizada nas competências necessárias para o século 21”, reforça Juliana, ao acrescentar que está sendo construído um espaço STEAM no SENAI para qualificar ainda mais a educação oferecida pelas entidades. “Além disso, continuamos com um olhar especial para que os alunos desenvolvam as habilidades necessárias para um desempenho de excelência nas avaliações em larga escala, como o Enem”, complementa.

Na Escola S, o estudante é estimulado a refletir sobre problemas reais e descobrir como solucioná-los na prática. Juliana frisa que são trabalhadas as dimensões cognitiva (desenvolvimento de competências intelectuais), afetiva (emocional, sentimentos, valores, apreciação, entusiasmo, motivação, atitudes, juízos, opiniões) e psicomotora (movimento físico, sentidos, coordenação, áreas motoras e sensoriais).

De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), as próximas décadas serão marcadas por um ensino que leve em conta a aprendizagem autônoma e participativa, a partir de problemas e situações reais. É aí que entram recursos como a gamificação, a sala de aula invertida e o estudo baseado em projetos e contextualizado. “Temos priorizado o aprendizado ao longo da vida, contínuo e integrado às rotinas diárias, extrapolando os sistemas escolares formais. Buscamos oferecer um ensino que tenha significado para o aluno, em que ele seja estimulado de maneira voluntária, proativa e permanente; e que ele faça sua autogestão nesse caminho”, detalha Pereira. Outro diferencial é a parceria com o Instituto Ayrton Senna para desenvolvimento de competências socioemocionais dos estudantes, como a autoconfiança, respeito, empatia, responsabilidade, persistência e imaginação criativa.

Durante a pandemia, a rede SESI SENAI deu continuidade às atividades, utilizando diversas tecnologias educacionais como o Google for Education, o Meet, para as aulas ao vivo, e a plataforma Geekie One, um repositório no qual os estudantes podem consultar materiais e fazer atividades. Recursos cada vez mais populares, como o Whatsapp e o Telegram, também foram essenciais em algumas atividades, como na educação de jovens e adultos, por exemplo. A rede está preparada para o retorno das atividades presenciais com protocolos de segurança definidos para garantir a saúde de alunos e professores assim que houver autorização dos órgãos de saúde.

MB Comunicação Empresarial/Organizacional

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CONVITE | Prefeitura de Orleans convida para “AUDIÊNCIA PÚBLICA”

A Prefeitura Municipal de Orleans, CONVIDA para participar da Audiência Pública Virtual de Avaliação e Cumprimento das Metas Fiscais do Segundo Quadrimestre de 2020...

Asteroide passa ‘raspando’ pela Terra e chega mais perto de nós do que satélites de TV

Por pouco não tivemos a ‘visita‘ de um asteroide na manhã desta quinta-feira (24). O evento era, basicamente, a cereja do bolo do que está sendo...

MUNDO | Sobrinho de Pablo Escobar encontra R$ 100 milhões em antigo apartamento do tio

Pablo Escobar foi morto há 27 anos, mas a história de um dos maiores narcotraficantes do mundo ainda ecoa. Um sobrinho que mora em...

11º RPM apresenta números das fiscalizações contra a Covid-19

Nestes mais de seis meses de ações contra a Covid-19, a 11ª Região da Polícia Militar (RPM), que é responsável pelo policiamento nas cidades...