Deputados da CPI dos Respiradores entregam novo pedido de impeachment do Carlos Moisés

presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputado Julio Garcia (PSD), afirmou que encaminhará o novo pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés (PSL) para análise da Procuradoria Jurídica da Alesc, a exemplo do que ocorreu com as outras representações. Garcia elogiou o trabalho desenvolvido pela CPI dos Respiradores e disse que comissão “escreveu uma página das mais importantes na história da Assembleia”.

O novo pedido foi entregue pelos deputados Sargento Lima (PSL) e Ivan Naatz (PL), respectivamente presidente e relator da CPI dos Respiradores, no começo da tarde desta terça-feira (8). O documento, acompanhado de uma cópia do relatório final da CPI, foi entregue ao presidente da Alesc, que já determinou encaminhamento da matéria para os trâmites necessários.

“Foi uma CPI exemplar, muito bem conduzida. Os nove membros da CPI executaram uma obra que engrandeceu a Assembleia Legislativa. O comportamento da CPI foi digno de registro e escreveu uma página das mais importantes na história da Assembleia”, disse Julio Garcia.

Dois pedidos estão em tramitação

Esta é a oitava representação por crime de responsabilidade apresentada contra o governador. Duas delas foram recebidas pela Presidência da Assembleia e estão em tramitação.

A base do novo pedido é o relatório final da CPI instalada em maio pela Assembleia Legislativa para investigar a compra de 200 respiradores artificiais pelo governo, em março, pagos de forma antecipada e que não foram entregues. No documento, apresentado em 18 de agosto, os membros da comissão entenderam que o governador cometeu crime de responsabilidade ao negar à CPI que não tinha conhecimento da compra dos equipamentos.

Além disso, para a comissão, Moisés foi omisso, pois ignorou os alertas feitos pelo presidente do TCE a respeito das medidas que deveriam ser tomadas para evitar compras fraudulentas em casos de pagamento antecipado.

“Por essas razões, os indicativos colhidos por este relator dão conta de que o Governador Carlos Moisés cometeu crime de responsabilidade, não só por faltar à verdade com esta CPI, mas ao impedir ou retardar deliberações que lhe eram de sua competência no sentido de salvaguardar os interesses da administração pública, por conta própria ou representado por seus secretários”, escreveu o relator Ivan Naatz (PL).

Relatório final da CPI foi apresentado em 18 de agosto | Foto Agência AL
Reconhecimento

“A CPI foi um processo que teve início, meio e fim, com uma avaliação positiva da imprensa, da sociedade catarinense, de várias entidades. Não recebemos uma crítica sequer sobre o que a CPI concluiu”, comentou o relator Ivan Naatz, ao entregar o pedido de impeachment.

“A sociedade catarinense nos entregou uma missão. Ela está cumprida, sem escândalos, de uma forma profissional, feita da forma mais transparente possível, o que foi uma marca dessa CPI. Nossa missão está cumprida com a entrega desse relatório”, complementou o presidente da CPI, deputado Sargento Lima.

* Com informações do SC Portais

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

O Caminho de Santiago é para todos

O Caminho de Santiago é visto com frequência como um projeto religioso, místico, hippie, ou coisa parecida. Mas ele não é isso — ou, ao...

Cerâmica Elizabeth é a nova patrocinadora do Criciúma Esporte Clube

Empresa está entre os maiores fabricantes do mundo de revestimentos cerâmicos e tem uma unidade na cidade que dá nome ao clube de futebol A...

O seu horóscopo exclusivo em um Clic

O CAMINHO DOS ASTROS 51 A vida é um coletivo Urano teve vários filhos, como detestava a todos, mantinha-os presos no interior de Gaia, a Terra....

Pescadores e maricultores recebem apoio do Governo do Estado

Os pescadores e maricultores que sofreram prejuízos devido a fenômenos climáticos extremos, como o tornado e ciclones que atingiram Santa Catarina neste ano, contarão...