Criador do WWW vende código-fonte por R$ 25 milhões

Tim Berners-Lee, criador do World Wide Web (WWW), vendeu um NFT do código-fonte original da rede mundial de computadores por US$ 5,4 milhões (cerca de R$ 25 milhões). Contudo, o comprador pode ser surpreendido com o resultado final da ação, já que foi detectado um erro no código leiloado.

O montante pago durante o auge de popularidade dos NFTs incluiu um pacote com alguns itens, sendo eles: o registro original de arquivos datados com data e hora contendo o código-fonte, uma representação de Scalable Vector Graphics (SVG) do código completo, uma carta do criador refletindo sobre o código e seu processo de criação da internet, além de uma representação animada do código sendo escrito.

Todavia, a compra do código pode ter falhado. Através do Twitter, o especialista em segurança digital Mikko Hypponen destacou que na imagem divulgada do código existe alguns caracteres especiais que não deveriam estar no lugar dos ‘<>’.

“O NFT consiste em vários componentes, e o código da internet parece estar bem em todos os outros lugares, mas o vídeo parece ter todos os caracteres especiais codificados”, explicou Mikko, em entrevista à TNW.

Mesmo com o problema detectado, o NFT não se torna menos valioso. De acordo com Hypponen, o comprador pode considerar isso algo único (ou não). “Esse código não funcionaria e não poderia ser compilado. Quem sabe, tal erro pode tornar esta coisa ainda mais colecionável para colecionadores”, disse o especialista.

Até o momento, não se sabe como o erro ocorreu, mas Mikko acredita que o problema tenha surgido em um software que converteu o código em um vídeo animado.

O que são NFTs?

Os NFTs são tokens gerados a partir de uma blockchain e servem para dar a um item específico uma espécie de identidade única, como um selo oficial de item raro. Em uma linguagem mais simplista, o NFT é uma garantia de que determinado item digital é algo único.

Reportagem da redação da ISTOÉ

ÚLTIMAS NOTÍCIAS