Couve de Bruxelas pode ajudar a combater o câncer

Reúna um grupo de pessoas e pergunte a opinião delas sobre a couve de Bruxelas – as respostas certamente serão divididas em 50/50. Algumas pessoas adoram couves de Bruxelas e poderiam comê-las em todas as refeições. Outras pessoas mal conseguem suportar a ideia de comer estes mini repolhos. Embora isso possa simplesmente resumir-se às diferenças de sabor, é muito mais provável que aqueles que não gostam dos vegetais embalados com fibras nunca os tenham preparado corretamente. Já se foram os dias dos vegetais insossos e insípidos, já que agora as couves de Bruxelas são preparadas com uma crosta crocante, muitas vezes acompanhadas de cranberries e xaropes. No entanto, enquanto os chefs aprenderam uma ou duas coisas boas sobre como preparar couve de Bruxelas, os pesquisadores também aprenderam sobre o incrível impacto que a couve de Bruxelas pode ter sobre a saúde de uma pessoa.

Esses vegetais de aparência fantástica podem diminuir o risco de muitas doenças, de doenças hepáticas a câncer. A pesquisa mostra que um composto na couve de Bruxelas pode ajudar a restringir o crescimento de tumores, bloqueando enzimas agressivas conhecidas por promover o crescimento do câncer. As enzimas enfraquecem os genes que suprimem os tumores e os impedem de se espalhar. Este composto encontrado nas couves de Bruxelas permite que os supressores de tumor continuem fazendo seu trabalho.

A couve de Bruxelas também contém uma grande quantidade de clorofila, o pigmento verde que ocorre nas plantas. Um estudo de 2018 com células de câncer pancreático sugeriu que a clorofila pode servir como um antioxidante, agindo contra alguns dos compostos responsáveis ??pelo desenvolvimento do câncer pancreático. Além dessa nova pesquisa, existem muitos estudos mais antigos que comprovam o impacto positivo que os vegetais crucíferos podem ter na saúde.

Fonte: National Foundation for Cancer Research. December, 2020.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS