InícioNotíciasCORONAVÍRUS: Governo vai ampliar atendimentos e começar vacinação contra gripe

CORONAVÍRUS: Governo vai ampliar atendimentos e começar vacinação contra gripe

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, participou nesta quarta-feira (11/3) de comissão na Câmara dos Deputados onde explicou as ações realizadas pelo Governo para combater o coronavírus no Brasil. Além de atuar na vigilância, com casos, o ministro Mandetta falou da previsão de ampliar para mais de seis mil postos de saúde, o programa Saúde na Hora, que permite o funcionamento das unidades na hora do almoço, depois do expediente e nos finais de semana. De acordo o ministro, 90% dos casos podem ser atendidos nos postos de saúde, o que vai beneficiar 40 milhões de brasileiros. Luiz Henrique Mandetta garantiu que o Governo do Brasil está fazendo todos os esforços para proteger a população brasileira.

“Nós vamos fazer todos os nossos esforços. O nosso Sistema de Saúde, ele tem sido nos últimos 30 anos, construído de maneira mais equilibrada possível. Nós vamos procurar atender a todos e não deixar ninguém para traz. Mas, sabemos das nossas dificuldades. Procurarei estar presentes em todos os estados discutindo com os Secretários. Mas volto a repetir, o SUS é um sistema onde o atendimento, a operação, ela está na ponta. Aqueles primeiros casos nos estados onde a condição não é ideal, precisa ser repassado, rechecado. Porque vai ter o segundo, o quinto, vai ter o décimo. Errar uma vez, no início, faz parte, é uma situação nova, mas aproveitem para se reposicionar”.

O Ministro ainda anunciou que até o dia 18 de março todos os estados estarão preparados para realizar os exames laboratoriais de diagnóstico do coronavírus. Mas alertou sobre a importância de que cada pessoa entender a necessidade de fazer sua parte para evitar a doença.

“Os países que estão lidando melhor com essa questão são a onde a população é consciente. Aqui no Brasil, o primeiro indivíduo que tem esposa infectada, ele é recomendado o isolamento pelo pessoal de saúde, mas sai de dentro do isolamento e fala que não vai fazer o teste, a ponto de precisar fazer ordem judicial de emergência para pessoa coletar o exame e confirmar que ele está com a doença… Se a gente for com esse perfil de comportamento de achar que é uma grande brincadeira ou de achar que cada um sabe o que fazer realmente a gente deve ter um número muito expressivo de casos”.

A maioria dos casos de coronavírus no mundo é de baixa gravidade, sendo que a atenção maior deve ser voltada aos idosos e pessoas com doenças crônicas, público mais atingido pela doença. Por isso, na Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, que começa no dia 23 deste mês, os idosos e trabalhadores da saúde serão os primeiros a receber a vacina.

Com informações da Agência do Rádio Mais  – Repórter Janary Bastos Damacena