Coronavírus: Argentina recebe 300 mil doses da vacina russa

A carga com as primeiras 300 mil doses da vacina chegaram na manhã desta véspera de Natal e serão aplicadas no pessoal de saúde do país, a partir da semana que vem. As autoridades do governo argentino não especificaram, durante coletiva nesta quinta-feira, o dia exato do início da vacinação. A distribuição em caminhões frigoríficos começará pela cidade de Buenos Aires e percorrerá a província de Buenos Aires e o interior da Argentina.

O governo do presidente Alberto Fernández informou que outras cinco milhões de doses devem ser desembarcadas no país em janeiro e outras 14,7 milhões em fevereiro. “Vamos vacinar a maioria da população argentina”, disse o ministro da Saúde, Ginés González García, que vem sendo criticado pela falta de entendimento com a fabricante Pfizer para a aquisição do imunizante. O ministro disse, nesta quinta-feira, que os carregamentos da vacina russa chegarão também da India e da Coréia do Sul, onde são igualmente produzidas.

Uma equipe do Ministério da Saúde viajou a Rússia para verificar os procedimentos de fabricação da Sputnik V. O avião da companhia estatal Aerolíneas Argentinas chegou em Buenos Aires com a inscrição ‘The Gamaleya National Center’, referência ao centro de pesquisa da vacina russa. O Gamaleya criou a vacina que contou com financiamento do Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF).

O desembarque do primeiro carregamento de vacinas Sputnik ocorreu no mesmo dia em que o Chile iniciou a vacinação no país – neste caso com a vacina Pfizer que foi aplicada, primeiro, em uma enfermeira chilena. Já o Uruguai enfrenta dificuldades para receber as vacinas depois que um dos assessores do Ministério das Relações Exteriores rejeitou, por conta própria, um acordo com a Pfizer. Tanto o Uruguai quanto a Argentina mantém as fronteiras fechadas para o turismo.

Reportagem: clarin.com

ÚLTIMAS NOTÍCIAS