Setor de confecção tem sentido maior impacto da pandemia no Sul do Estado

A pandemia afetou os diversos setor da economia nacional e em Santa Catarina não poderia ser diferente. No estado, porém, muitas categorias já tem conseguido perceber a recuperação econômica em passos largos, enquanto outras ainda iniciam a melhora. Em entrevista à Rádio Hulha Negra nesta quarta-feira (26) o presidente da FIESC, Mário César de Aguiar, afirmou acreditar em uma melhora geral nos próximos meses.

“Alguns setores sentiram mais que outros. O setor de confecção, por exemplo, ainda sente muito. Outras áreas como a venda de móveis e itens de reforma não sentiram tanto esse impacto. Isso acontece porque o perfil do consumidor mudou, agora as pessoas priorizam o conforto, o conforto da família que tem passado mais tempo em casa”, afirmou o presidente.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial Catarinense (ICEI) atingiu 60,3 pontos em agosto, aproximando-se dos níveis registrados antes da pandemia da Covid-19 (63,2 pontos em março). Os dados são do Observatório FIESC. A análise destaca que o resultado catarinense tem relação com o aumento da atividade econômica e a readequação dos processos produtivos para uma retomada mais assertiva, já resultando em geração de emprego em alguns setores industriais e melhora na produção industrial.

OCPNews

Foto: reprodução

ÚLTIMAS NOTÍCIAS