Como a pandemia provocou uma ‘seca’ de motoristas de ônibus escolares nos EUA

A volta às aulas presenciais no estado do Massachusetts, nos EUA, revelou uma crise inesperada como mais uma consequência direta da pandemia: o número de motoristas de ônibus disponíveis para transportar os alunos até a escola e depois de volta para casa sofreu uma queda drástica. Com um número consideravelmente menor de profissionais para realizar o serviço de transporte, rapidamente tornou-se claro que tal quadro impactaria diretamente na pontualidade e até mesmo na presença dos alunos em sala e, assim, no próprio desenrolar das aulas e no desempenho tanto dos alunos quanto dos professores.

Para além do apontamento no estado do Massachusetts, a verdade é que a crise vem ocorrendo em todo o país. Os motivos são tão variados quanto evidentes:, com a mudança para as aulas remotas, muitos motoristas decidiram procurar outros trabalhos, enquanto os que permaneceram agora não se sentem seguros para dirigir diariamente um ônibus repleto de crianças que não foram vacinadas contra a especialmente contagiosa variante Delta do novo coronavírus.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS