Chapecó : Comércio segue com projeções positivas de vendas em 2021

O comércio chapecoense se adaptou muito bem ao novo momento gerado pela pandemia e soube transformar as dificuldades em oportunidades. Uma das principais mudanças está relacionada às vendas via e-commerce que foram implementadas por empresas que não atuavam com essa modalidade de vendas. Além de intensificar a comercialização de produtos e serviços para quem já era adepto das compras on-line, essa prática conquistou novos consumidores.

Passado pouco mais de um ano de pandemia, as vendas via e-commerce se consolidaram e, segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL), Clóvis Spohr, foram essenciais para a retomada do crescimento, que neste ano, teve aumento expressivo em relação ao ano passado. “Aliado a isso, o forte cuidado com as práticas de higiene e distanciamento no comércio local fazem com que o consumidor se sinta mais seguro para fazer compras em lojas físicas”.

Outro aspecto importante, segundo o presidente da CDL Chapecó, está relacionado ao fato do município contar com saldos positivos de emprego, o que cria boas oportunidades para o comércio, especialmente em datas comemorativas como o Dia das Mães, que superou as expectativas neste ano, e o Dia dos Namorados que deverá ter aumento de 5% em relação ao ano passado. “Outro fator importante está relacionado à chegada antecipada do inverno que é a melhor estação de vendas e vem contribuindo para o aumento de comercialização de roupas, calçados e eletrodomésticos”, completa Spohr.

A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta semana, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), confirma o crescimento do comércio varejista em todo o Estado, no mês de abril. As vendas subiram 36,8% em Santa Catarina, na comparação com o mesmo período de 2020. Em março, o setor também apresentou crescimento de 26%, nesta mesma análise.

O resultado de abril é também 2% superior ao de março. No acumulado do ano, a alta foi de 14%, maior que a do Brasil, que registrou 9,2%. Já a variação acumulada dos últimos 12 meses apontou um crescimento de 8,9%.

ATIVIDADES COM MAIOR CRESCIMENTO

O crescimento do volume de vendas do varejo ampliado, na comparação com abril de 2020, foi impulsionado pelos segmentos de livros, jornais, revistas e papelaria (184,2%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (116,1%); veículos, motocicletas, partes e peças (114,2%); tecidos, vestuário e calçados (103,9%); equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (42,%); móveis e eletrodomésticos (36,4%); materiais de construção (34,3%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (27,1%); combustíveis e lubrificantes (16,1%).

Reportagem: MB Comunicação Empresarial/Organizacional

ÚLTIMAS NOTÍCIAS