Cartilha do PJSC auxilia crianças do Estado a reconhecer ações de assédio na infância

O enfrentamento e a prevenção ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes seguem tema de atividades com crianças e adolescentes nas comarcas do Estado. A cartilha “Super Adultos de Confiança” e cartazes sobre o tema, distribuídos pela Coordenadoria Estadual da Infância e da Juventude (CEIJ), do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, durante o Maio Laranja, tem auxiliado no encaminhamento de denúncias e notificações de violações dos direitos da criança e do adolescente.

No Vale do Itajaí, a assistente social Fabiana Cavalheiro Minsky, da Secretaria de Assistência Social, Habitação e Emprego da Prefeitura de Guabiruba, conta que a equipe distribuiu os cartazes sobre o tema no comércio e nas unidades de saúde da cidade. Já as cartilhas, com 34 páginas, que apresentam conceitos, exemplos de casos, práticas e medidas de prevenção, legislação e orientações sobre como agir em situações de assédio, foram utilizadas em atividades com as crianças, em rodas de conversa realizadas nos meses de maio e junho.

De forma lúdica, foram propostas atividades com os alunos no 6º ano da Escola Municipal Padre Germano Brandt, orientados pelos professores Anna Otília Schlindwein, Carlos Maffezzoli e Osvaldo Ludovico Fuckner. A ação, segundo a assistente social, foi pensada no sentindo de trazer essa discussão junto aos alunos como forma de prevenir situações de abuso, bem como para que eles possam reconhecer os tipos de abuso e ainda apresentá-los aos canais de denúncia. “Para nós, da equipe, está tendo um retorno bastante positivo. Já conseguimos identificar alguns casos de abuso e iniciar as intervenções necessárias. É gratificante podermos fazer algo para romper essa violência ou até mesmo para fazer os encaminhamentos necessários” observa Fabiana.

Na região sul do Estado, em Araranguá, a campanha foi feita em escolas no município-sede da comarca e também em Balneário Arroio do Silva, através de parceria com os Conselhos Tutelares municipais. A oficial da Infância e Juventude da comarca Grace Kelly Fortunato Canto Lopes, à frente da distribuição dos materiais da CEIJ, explica que a campanha de conscientização ao combate da exploração sexual infanto juvenil, em que pese ter acontecido tardiamente em razão dos eventos climáticos, teve grande aceitação nas escolas municipais.

“O assunto precisa ser disseminado especialmente nos ambientes escolares onde muitas vezes iniciam as falas de desabafo das crianças e adolescentes junto a colegas e professores. É preciso que se fomente o conhecimento das crianças e adolescentes sobre as formas de abuso, de modo que possam ter confiança para falar sobre o assunto abertamente”. Segundo ela, do mesmo modo, é preciso preparar os profissionais das mais diversas áreas para que possam saber identificar e conduzir qualquer notícia de abuso sofrido por crianças e adolescentes.

A Cartilha de Prevenção e Enfrentamento ao Assédio e à Discriminação está disponível no site da Instituição.

TJSC

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI

ÚLTIMAS NOTÍCIAS