Canudos não são maior problema: redes de pesca geram 46% do plástico nos oceanos

As enormes quantidades de plástico descartadas de forma pouco responsável e que se acumulam no oceanoameaçando a vida de várias espécies de animais e toda a biodiversidade da terra, têm chamado a atenção de milhares de pessoas pelo mundo.

A medida que está mais ao alcance de todos nós como cidadãos comuns é evitar ao máximo o uso de objetos plásticos descartáveis, como copos e garrafas, além dos canudos, que são usados em escala assustadora, especialmente nos EUA, onde estima-se que sejam descartadas 500 mil unidades por dia.

Mas a Mercy For Animals (“Misericórdia para Animais”), uma ONG que atua combatendo a crueldade contra animais através da conscientização a respeito de hábitos alimentares, está em campanha para mostrar que, apesar de serem um grande problema, esses não são os maiores vilões para a vida marinha.

De acordo com a organização, que cita um estudo feito pela Ocean Cleanup, a Ilha de Lixo do Pacífico, um gigante redemoinho que acumula quase 80 mil toneladas de plástico e tem quase 2 vezes a área da França, é formada em 46% por redes de pesca perdidas ou jogadas fora de propósito.

Como a Ilha de Lixo é formada pelas correntes marítimas, a entidade acredita que seja justo admitir que a proporção valha para o lixo descartado nos oceanos de forma geral. E há mais dados estarrecedores.

De acordo com a World Animal Protectionanualmente os oceanos ‘recebem’ 640 toneladas de material de pesca descartados ou perdidos, sendo que as redes de plástico compõem a maior parte do montante. Estima-se que mais de 130 mil animais como focas, leões-marinhos, tartarufas e baleias sejam mortos por essas redes todos os anos.

Além disso, as gigantescas redes de pesca que têm como objetivo capturar algumas espécies determinadas de peixes que servem de alimento para os humanos acabam retendo muitos outros animais, que são mortos sem objetivo algum: estima-se que 20% de todos os indivíduos capturados pela pesca de arrastão sejam descartados nos oceanos.

Segundo a Mercy For Animals, a melhor atitude que se pode ter para tentar contornar o problema é mudar de hábitos alimentares e deixar de fazer parte da demanda que torna a indústria da pesca tão grande e violenta.

Através do site Escolha Veg, a ONG distribui um Guia Vegetariano para quem quiser diminuir ou até cortar o consumo de alimentos de origem animal, além de agrupar várias receitas veganas que substituempeixes e outros animais aquáticos por opções vegetais.

Redação Hypeness

Fotos via The Ocean Cleanup

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Polícia Civil prende suspeito de feminicídio e de homicídio de recém-nascido e localiza corpos das vítimas

Na terça-feira (22), a Polícia Civil, por intermédio do Setor de Investigações Criminais de Itapema, cumpriu um mandado de prisão temporária contra um investigado...

Pinguim é encontrado morto no litoral de SP com máscara no estômago

Um pinguim foi encontrado morto no último dia 09 de setembro na praia de Juquehy, em São Sebastião, litoral de São Paulo – e, depois de...

Indenização para idosa que perdeu visão após porta de ônibus fechar sobre seu rosto

Uma idosa do Vale do Itajaí, que perdeu a visão depois que a porta de ônibus do transporte coletivo fechou sobre o seu rosto...

Operação desmantela associação criminosa interestadual especializada em roubo de cargas

Policiais civis da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Joinville desencadearam na terça-feira (22) uma operação com o objetivo de cumprir mandados de prisões...