ARTIGO | Nesta pandemia, cuidado com o uso em excesso dos fones de ouvido

“Mais de 1 bilhão de jovens está com a audição ameaçada, segundo a OMS”.

Os fones de ouvido têm sido um acessório indispensável durante esta pandemia. Estão presentes nas reuniões virtuais de trabalho, nas aulas on-line, durante as chamadas de vídeo ou áudio com amigos e familiares; e, é claro, na hora de ouvir música. Quem está fazendo home office não abre mão deles. Mas se por um lado os fones são úteis, podem também causar danos à audição e provocar perda auditiva precoce.

“É preciso cuidado com o volume do áudio e com o período de uso. Se houver excessos, podem surgir zumbidos, além de danos auditivos”, alerta a Fonoaudióloga Marcella Vidal, da Telex Soluções Auditivas.

A febre do uso dos fones preocupa a Organização Mundial de Saúde.  (OMS). De acordo com a entidade, mais de 1 bilhão de jovens no mundo corre o risco de desenvolver problemas de audição diante da exposição prolongada e excessiva a sons em volume alto, principalmente por meio dos fones de ouvido. O alerta da OMS veio junto com a publicação, no ano passado, de novos padrões para a produção de produtos tecnológicos que, segundo a entidade, estão contribuindo para a atual situação. A estimativa é de que esse risco atinja 50% da população entre 12 e 35 anos de idade.

“A grande preocupação é com o efeito cumulativo para a saúde auditiva. Dependendo do volume e do tempo de exposição ao som elevado, além de predisposição genética, o indivíduo sofre danos auditivos cada vez mais severos, de forma contínua, ao longo da vida. E as novas gerações serão as maiores vítimas, principalmente agora que o equipamento está sendo usado com mais frequência”, esclarece a fonoaudióloga da Telex, que complementa: “Ao usar fones, evite ultrapassar a metade da potência do aparelho”.

Existem vários tipos de fones de ouvido. O melhor é o do tipo circumaural, que envolve toda a orelha, o que ajuda a isolar bem o som externo, permitindo melhor qualidade de som e evitando, assim, que o usuário aumente o volume. Já os fones supra-auriculares também são grandes, mas, em vez de envolverem as orelhas, ficam sobre elas e, por isso, o bloqueio do som ambiente é menor.

Os mais usados ainda são os fones auriculares porque eles já vêm junto com os smartphones. Esses não bloqueiam a entrada dos sons do ambiente e, deste modo, para conseguirem ouvir melhor a programação sonora, muitas pessoas costumam aumentar o volume do aparelho, trazendo riscos à audição.

Existem ainda os fones intra-auriculares, que se encaixam dentro do canal auditivo e permitem um bom isolamento sonoro. Eles podem ser encontrados nas versões Bluetooth e True wireless, mas podem incomodar após muitas horas de uso. Além disso, é bom redobrar o cuidado com o volume do som, pois com esse tipo de fone são maiores os riscos de danos auditivos.

Assessoria de imprensa da Telex Soluções Auditivas – Ex-Libris Comunicação Integrada

Colaboração: Cristina Freitas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cerca de 40 trabalhadores em situação análoga à escravidão são resgatados, com apoio da PRF

Policiais rodoviários federais do Núcleo de Operações Especiais (NOE) atuaram em uma fiscalização realizada por auditores-fiscais do trabalho do Grupo Especial de Fiscalização Móvel...

MUNDO | MDZhB: a misteriosa rádio soviética que segue emitindo sinais e ruídos há quase 50 anos

Uma misteriosa estação de rádio segue ininterruptamente transmitindo somente ruídos estáticos interrompidos por sons robóticos há mais de quatro décadas. Conhecida como UVB-76 ou MDZhB, os sinais da...

Comarcas da região Sul de SC, se preparam para Semana Nacional da Conciliação

Na próxima semana, entre os dias 30 de novembro e 4 de dezembro, os tribunais brasileiros se dedicam a campanha em prol da conciliação...

Polícia Civil e PM deflagram a 3ª fase da operação “free hills” contra organização criminosa

As Polícias Civil e Militar deflagraram a 3ª fase da Operação “Free Hills” para cumprir 10 prisões preventivas na região do Morro do Mocotó,...