Após contaminações, STF avalia novos protocolos contra covid-19

Após o ministro Luiz Fux e cinco autoridades convidada para sua posse na presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) testarem positivo para covid-19, a Corte informou hoje (17) que estuda “novos procedimentos” para aumentar a segurança de servidores e visitantes.

Fux tomou posse como presidente do Supremo na última quinta-feira (10), em solenidade no plenário do tribunal, que contou com a presença de cerca de 50 convidados, além dos servidores e terceirizados que trabalharam na realização da cerimônia.

Na segunda-feira (14), Fux confirmou ter contraído a doença. Até esta quinta-feira (17), quatro autoridades que compareceram ao evento também informaram diagnósticos positivos. Além de Fux, contraíram a doença: o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ); a presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Maria Cristina Peduzzi; e os ministros do Superior Tribunal de Justiça Luís Felipe Salomão e Antonio Saldanha Palheiro. Hoje, a Procuradoria Geral da República (PGR) confirmou que Augusto Aras também está infectado.

Na quinta-feira, o Supremo divulgou nota na qual diz que a presidência da Corte presta “solidariedade e votos de ampla recuperação aos que eventualmente contraíram a covid-19”.

O texto destaca que o Tribunal adotou para a solenidade todos os protocolos preconizados pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). “De qualquer forma, ainda que esteja segura quanto às medidas de precaução adotadas dentro de suas instalações, a Corte Suprema brasileira estuda novos procedimentos para tornar ainda mais segura a presença de servidores e visitantes do STF”, diz a nota.

O STF acrescenta que está fazendo contato, por meio de seu cerimonial, com todos os convidados para a cerimônia de posse para alertar sobre a importância de buscar um serviço médico, seja pela exposição durante a solenidade ou em outros eventos fora do tribunal.

Desde o início da pandemia, 157 servidores do Supremo testaram positivo para covid-19. Na nota desta quinta, a Corte afirma que seu serviço médico está à disposição dos funcionários para orientá-los acerca de eventuais testes e dos procedimentos a serem adotados em caso de diagnóstico positivo.

Diz ainda o texto que, desde o início da pandemia, o Supremo demonstra “elevado senso de responsabilidade”, tendo implementado o trabalho remoto e adotado ferramentas tecnológicas que permitam a continuidade dos serviços jurídicos prestados.

Com informação: Agência Brasil

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Castelo de Karlstjen, Boêmia Central na República Tcheca encantando viajantes e visitantes

A busca pelo gótico tcheco levará o viajante a uma serie de castelos. O rei de todos será o Castelo de Karlštejn, no qual...

Sampa Jazz Fest 2020 tem show de Anna Setton, ao vivo para todo o Brasil, hoje, 24 de outubro

"Quarta edição do festival será online e gratuita, com shows também de Bixiga 70 com Tulipa Ruiz e Salomão Soares com Vanessa Moreno". Neste sábado,...

Segundo a FECAM, retorno presencial às salas de aula deve ser gradual e escalonado

"Uma série de regras sanitárias devem ser cumpridas antes de todos os estudantes retornarem presencialmente às salas de aula em SC, a exemplo de...

Unisul lança curso gratuito de Gestão do Tempo

"Programa de curta duração terá como foco auxiliar jovens no gerenciamento de atividades da vida academia e profissional".     Durante a vida universitária é comum...