InícioNotíciasAlerta global: Especialista em doenças infecciosas do CEUB explica o vírus H3N8,...

Alerta global: Especialista em doenças infecciosas do CEUB explica o vírus H3N8, gripe aviária confirmada na China

Criadores de aves ou pessoas que trabalham diretamente com aves devem ter mais atenção, recomenda

Com a confirmação da primeira morte por gripe aviária no mundo, surgem dúvidas na população sobre a doença e a forma de prevenção. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a vítima foi uma mulher de 56 anos, de Guangdong, na China, no dia 16 de março. Especialista em doenças infecciosas e parasitárias e professor de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Brasília (CEUB), Lucas Edel explica os mitos e verdades sobre o vírus H3N8, responsável pela doença.

O que é a gripe aviária e como ela é transmitida?LE: A gripe aviária é uma doença causada por um vírus da influenza, especificamente do grupo A. A transmissão pode ocorrer por meio do contato direto com as secreções respiratórias de aves infectadas. Essas secreções podem contaminar ração, água, vestimentas, sendo veículos para transmitir o vírus a outros animais ou pessoas.

Qual é o vírus responsável pela gripe aviária e como ele age no organismo humano?LE: O vírus responsável pela gripe aviária é o H3N8, que pertence ao grupo A da influenza. Esse vírus pode infectar animais e humanos. No organismo humano, ele pode causar sintomas inespecíficos de quadro respiratório, como febre acima de 38 graus, dor de garganta, tosse seca, secreção nasal e dor abdominal.

Quais são os riscos de seres humanos serem infectados pela gripe aviária?LE: Existem dois subtipos do vírus da gripe aviária: de baixa e alta patogenicidade. Ainda não está muito claro sobre o risco de infecção em humanos, mas sabemos que há possibilidade, principalmente em locais onde não há vigilância e controle da doença. No Brasil, já existe um plano de contingência nas fronteiras (aéreas, marítimas e terrestres), e ainda há ações de vigilância dentro dos municípios nos territórios sendo conduzidas pelas secretarias estaduais de agricultura, orientadas pelo Ministério da Agricultura.

Como os surtos de gripe aviária são controlados e prevenidos em humanos?LE: Na verdade, já existe um plano de contingência com estratégias para situações em que não há casos e também para possíveis registros de surtos de gripe aviária. Ações de vigilância ativa em aves, vacinação de aves, abate preventivo de aves infectadas e medidas de biossegurança nas granjas são algumas das medidas utilizadas para controlar e prevenir a doença em humanos.

Quais são os grupos de pessoas mais vulneráveis à gripe aviária?LE: Ainda não sabemos com certeza, mas a Influenza de uma forma geral costuma se manifestar de forma mais grave em pessoas com algum tipo de imunossupressão. Idosos e crianças, que têm sistemas imunológicos em declínio e em formação, respectivamente, podem ser considerados grupos de maior risco.

Quais são as precauções que devemos tomar para evitar a infecção pela gripe aviária?LE: No momento, não há recomendações diretas para a população, mas sim para criadores de ou pessoas que trabalham diretamente com aves. É importante seguir medidas de biossegurança, como lavar bem as mãos após o contato com aves, evitar o contato com aves doentes, utilizar equipamentos de proteção adequados e garantir a limpeza e desinfecção de ambientes e equipamentos relacionados à criação de aves.

Como a gripe aviária pode afetar a indústria avícola e a economia em geral?LE: O impacto negativo da detecção de Influenza aviária é que pode gerar uma condição no mundo de falta de vigilância e controle dessa doença. Isso pode ter repercussões significativas na economia regional, nacional e internacional. Por exemplo, se for detectada influenza aviária em uma granja com duas mil ou cinco mil aves, todas as aves precisam ser abatidas, o que pode causar um peso econômico considerável. Além disso, a detecção de Influenza aviária no Brasil, sendo um dos principais exportadores de carne de aves do mundo, pode levar à suspensão das exportações dessa carne.

 

Atendimento à Imprensaceub@maquinacw.com

máquinacohn&wolfe | dig deeper. imagine more