Abastecimento de água alternativo se torna solução para período de estiagem em SC

O alerta já vem desde o início de abril: baixo índice de chuva preocupa meteorologistas e coloca pelo menos 27 municípios da região oeste catarinense em estado crítico de abastecimento, conforme divulgou a Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável do estado. A estiagem tende a prejudicar principalmente as lavouras, criações de animais e produtores de leite que se concentram na região. E, para driblar a seca, os agricultores já começaram a utilizar abastecimentos de água alternativos, como a importação de água em caminhões-pipa de outras regiões do estado.

Para se ter uma ideia da gravidade das secas, em algumas regiões do meio oeste e planalto de Santa Catarina, a média de chuvas está 550 mm abaixo da média histórica para o período, segundo o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epagri/Ciram).

A utilização de abastecimentos de água alternativos, então, se tornou o principal recurso das lavouras catarinenses, que já contabiliza prejuízos. Nas plantações de batatas, a previsão é que a produção sofra uma diminuição de 34%, enquanto as plantações de milho devem diminuir cerca de 10%, mesmo com 80% da primeira safra já colhida, segundo a Epagri/Ciram.

Carlos Alexandre Marconcini, diretor administrativo da Só Água Potável, uma das principais fornecedoras de água da região oeste de SC nesse período de seca, ressalta a importância do abastecimento com caminhões-pipa pode minimizar os prejuízos nas lavouras: “o transporte adequado de água de outras regiões do estado é a principal alternativa para diminuir os impactos da seca. A nossa empresa, por exemplo, trabalha com caminhões pipa com tanque de aço-inox e tanque de aço-carbono revestido em epox-alimentícia, mantendo a qualidade da água apropriada para o consumo e utilização nas lavouras”.

Por fim, o Secretário da Agricultura, Ricardo de Gouvêa, sugere que momento delicado para a agricultura de Santa Catarina só pode ser superado com colaboração e união: “Nossos técnicos estão constantemente monitorando os efeitos da estiagem no estado e os impactos nas safras. Compartilhar essas informações com o setor produtivo é fundamental para que possamos tomar decisões mais certeiras e nos prepararmos para o que está por vir”, ressalta.

Estiagem em Santa Catarina

Segundo a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, as lavouras de Santa Catarina vêm sofrendo com constantes períodos de estiagem desde junho do ano passado. No entanto, o tempo seco e ensolarado, que vem sendo registrado com grande predominância em todas as regiões catarinenses desde a metade do mês de março, agravou a situação e começou a colocar municípios em estado crítico de abastecimento desde o início de abril. A maior parte deles no oeste do estado, onde há grandes concentrações de lavouras – setor mais afetado pelas secas.

No dia 1º de abril, conforme divulgou a Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Santa Catarina já possuía 27 municípios em estado crítico de abastecimento. Desses, pelo menos seis já haviam decretado situação de emergência de acordo com boletim da Defesa Civil (são eles, Caxambu do Sul, Chapecó, Guatambu, Planalto Alegre, Saudades e Seara).

Para evitar prejuízos, os municípios começaram a tomar ações emergenciais, como a perfuração de novos poços, captação de mananciais alternativos e contratação de caminhões-pipa de outras regiões do estado, como o Vale do Itajaí, no litoral centro-norte do estado.

Previsão para normalização do abastecimento

De acordo com a Somar Meteorologia, a frente fria que chega ao estado pode normalizar temporariamente o abastecimento de água nos municípios da região oeste de Santa Catarina. Há previsão de ventos de até 70 km/h do Rio Grande do Sul a Santa Catarina, além da presença de pancadas de chuva e temporais em municípios como Chapecó e São Miguel do Oeste, antes do final de semana.

Sobre a empresa

Só Água Potável está no mercado há 12 anos trabalhando no ramo de soluções em água. Uma empresa em constante evolução no ramos de transporte e abastecimento de água potável com sucesso e crescimento.

Para quem?

A Só Água Potável atende diversos setores, tais como: Industrias de grande a pequeno porte, Usinas, estaleiros, portos, aeroportos, condomínios, hotéis, hospitais, fast-foods, residências, entre outros. Buscamos a melhor solução para você, seja treinando e qualificando nossa mão de obra ou investindo em equipamentos mais eficientes.

Colaboração: Sarah F.– comunicacao@featdesign.com.br

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Freiras brasileiras são sequestradas por terroristas em Moçambique

Duas freiras brasileiras foram feitas reféns por 24 dias por extremistas islâmicos em Moçambique, na África. Ambas já foram liberadas, mas em estado de...

Pescaria Brava | Pacientes crônicos serão testados

Após os mais de 1,5 mil idosos acima de 60 anos de Pescaria Brava serem testados para o novo coronavírus, a secretaria de Saúde...

Profissionais do setor de eventos farão manifestação nesta terça-feira em Criciúma

Profissionais do setor de eventos do Sul do Estado farão uma manifestação nesta terça-feira (21), em Criciúma, pedindo que sejam ouvidos pelas autoridades governamentais...

Em SP, rede pública volta a partir de 7 de outubro

O Governo do Estado de São Paulo decidiu que as aulas presenciais da rede pública de ensino serão retomadas no dia 7 de outubro....