500 municípios podem se inscrever para receber Biolarvicida para combater a Dengue

“Em tempos de coronavirus não podemos descuidar de epidemias como a dengue que sobrecarregam nosso sistema de saúde. Por isso a empresa BR3 vai doar meio milhão de tabletes do biolarvicida DengueTech para municípios em epidemia de dengue. O objetivo é transformar um milhão de criadouros em armadilhas contra o Aedes no entorno de hospitais”.

Não é só o COVID-19 que tem assombrado os gestores públicos e a população em geral. O Aedes aegypti, nosso conhecido de longa data, parece não dar trégua, e a epidemia de Dengue segue crescendo país afora. Se no ano passado houve recorde de notificações, neste ano, quando a atenção se volta ao COVID-19, a luz vermelha acendeu. A transmissão da doença está maior e já contam mais casos em todo o país. Só em 2020, o Brasil já registrou mais de 500 mil casos prováveis de dengue e mais de 200 mortes.

Sensível a este cenário de adversidades e epidemias crescentes, a BR3 pretende doar meio milhão de tabletes do biolarvicida DengueTech para 500 municípios que estejam enfrentando epidemia de dengue.  Os municípios que atenderem aos editais e forem selecionados receberão em média mil tabletes do produto para que sejam colocados no entorno de hospitais e postos de saúde, para melhorar a proteção dos equipamentos de saúde e suas vizinhanças. A ideia é evitar, assim, a  ocorrerência simultânea das duas doenças.

Sobre o produto:

Desenvolvido pela BR3 no CIETEC na USP/IPEN, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o produto elimina, de forma simples, larvas do Aedes aegypti, e é o primeiro larvicida biológico e sustentável do País.

Seu funcionamento é simples, só é necessário colocar o DengueTech (em formato de pastilhas) em recipientes onde a água se acumula ou fica parada. Dessa forma, o criadouro é inviabilizado por um período de 60 dias. As larvas ingerem o BTI (Bacillus thuringiensis var. israelensis) e morrem antes de se tornarem adultas. Outra vantagem do produto é que as pastilhas permanecem visíveis, assim é possível ter certeza que aquele criadouro continua sendo uma armadilha eficaz para o mosquito.  Altamente seletivo para atingir a larva do Aedes aegypti, o produto não prejudica outros insetos como abelhas e nem, plantas e animais.

Devido às suas características de eficácia e sustentabilidade, biolarvicidas à base de BTI são recomendados pela OMS (Organização Mundial da

Saúde) e pela SUCEN (Superintendência do Controle de Endemias do Estado de São Paulo).

“O intuito é utilizar o DengueTech para transformar criadouros em armadilhas nos hospitais, unidades básicas de saúde, e também nos quarteirões de seus entornos. Com o engajamento de servidores municipais e da comunidade, a tecnologia permite que essa ação seja feita rapidamente, reduzindo muito rapidamente a população de mosquito nas áreas mais críticas, protegendo pacientes e equipes de saúde”, explica Rodrigo Perez, Diretor na BR3.

Para receber o produto:

Para receber as doações, as secretarias de Saúde cujos municípios se encontram em epidemia deverão entrar em contato com a BR3 pelo e-mail: sossaude@br3.ind.br  .Os representantes das cidades devem se comprometer a fazer o trabalho em até 10 dias após a chegada do DengueTech.

“Recebida a documentação necessária, despachamos por Sedex pelos Correios para qualquer cidade do país. É um projeto que nos motiva muito pois tem um enorme propósito, especialmente nesse momento de tantos desafios”, diz Perez.  Além da tecnologia DengueTech, a BR3 também disponibilizará todo o conteúdo digital de suas redes para os municípios.

Serviço:

Doação do biolarvicida DengueTech para 500 municípios que estejam enfrentando epidemia de dengue

E-mail para solicitar o produto: sossaude@br3.ind.br

Assista ao vídeo:

Sobre Biolarvicida DengueTech: https://denguetech.com.br/

Sobre a BR3: https://www.br3.ind.br/

Assessora de Imprensa: Cristina Aguilera

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cinema | Tom Cruise é flagrado em filmagens de Missão: Impossível em Veneza

O astro Tom Cruise voltou a ser flagrado por fãs e paparazzi filmando cenas de ação da franquia “Missão: Impossível” na Itália. Os novos...

‘Para nós, pouco importa de onde vem a vacina’, diz presidente da Anvisa

O diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antônio Barra, disse nesta 4ª feira (21.out.2020) que a agência reguladora se manterá “fora da discussão política” e...

Papa do ‘fim do mundo’ volta a desafiar tradição da Igreja

BRASÍLIA - O apoio do Papa Francisco às leis para a união civil entre pessoas do mesmo sexo, divulgado nesta quarta-feira, 21, num documentário exibido no Festival...

Gruta de acesso as localidades do interior de Orleans está sofrendo invasão de furto de flores

As caminhadas costumam começar bem cedinho principalmente nos fins de semana e feriado, e seguem até por volta das 16h já que escurece cedo,...