5 mil bares e restaurantes podem falir com nova quarentena em BH

A seção de Minas Gerais da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-MG) estima que a nova quarentena decretada nesta quarta-feira (6) pelo prefeito Alexandre Kalil, em Belo Horizonte, pode levar cerca de 5 mil bares e restaurantes da capital mineira à falência.

A previsão foi feita por Matheus Daniel, presidente da Abrasel-MG, em entrevista ao jornal mineiro “Hoje em Dia”. “A situação é bem pior do que em março (de 2020), quando o comerciante ainda tinha uma ‘gordurinha’. Agora, ninguém tem reserva financeira”, afirmou Daniel.

O decreto determina que o comércio não essencial da cidade voltará a fechar a partir da próxima segunda-feira (11) por causa do aumento dos casos de covid-19 e não há prazo para a flexibilização das medidas.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Abrasel-MG estima que cerca de 3 mil bares e restaurantes encerraram as atividades na capital.

Daniel, porém, defende que os bares e restaurantes não são culpados pelo aumento de casos de covid-19 na cidade. “Ficamos abertos de setembro a outubro sem ter problemas. Desde dezembro estamos sem permitir consumo de bebida alcoólica nos estabelecimentos, e os números diminuíram? Pioraram”, pondero.

Segundo o presidente da Abrasel-MG, a entidade aguarda a publicação, na sexta-feira, do decreto com as regras da nova quarentena. De acordo com as restrições impostas, o setor pode entrar com uma ação judicial contra a Prefeitura de Belo Horizonte.

Reportagem da redação do Menu/Pedro Marques

ÚLTIMAS NOTÍCIAS